Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O espaço das pequenas coisas

O espaço das pequenas coisas

25
Abr21

25 de Abril sempre!

CC8DE92C-FE73-473D-AC77-CB9C6537923F.jpeg

Há 47 anos Amália estava nas aulas e ouviu alguém murmurar “houve Revolução! O regime vai cair!”. Era um alvoroço durante as aulas da manhã. Depois do toque para o almoço, Amália e os amigos correram para a rua, procurando ouvir na rádio o que tinha acontecido.


O Pai de Amália havia lutado pela Liberdade, co-organizando a campanha do General Humberto Delgado, firme na resistência à Ditadura. Muitos dos seus amigos estavam presos ou exilados. Tinha recebido várias ameaças, escapando apenas por um golpe de sorte.


Também Amália e os irmãos tinham resistido, à sua maneira, aos tentáculos da Ditadura, organizando encontros secretos para debater as suas ideias sobre como poderia ser a Democracia. Amália e os irmãos liam todos os livros secretos que o Pai conseguia comprar no “mercado negro” sobre marxismo, comunismo, socialismo, maoismo e tantos ismos. Distribuíam panfletos de manhã cedo na Escola e nunca falhavam os encontros.


Aos catorze anos, Amália foi chamada à PIDE. Tinha muito medo, será que a tinham apanhado? Pereceria na prisão como os amigos do Pai? Não! Seria corajosa e saberia defender-se. O Pai acompanhou-a e instruiu-a a não dizer nada. Até hoje, Amália pensa nesse dia, os PIDEs vermelhos e suados, sobre si a fazerem-lhe questões sobre os seus encontros, que amigos apareciam, sobre o que falavam.


Nesse 25 de Abril de 1974 não pensou mais no que tinha sido, permitiu-se sentir o que era: a Liberdade. Correu pelas ruas com os seus amigos, gritando “Viva a Liberdade!”, observando as centenas de pessoas que se reuniam na baixa. Sentia uma enorme esperança no futuro.


Amália fez parte de vários grupos depois da Revolução dos Cravos, lutou pela liberdade e igualdade, pelos direitos das mulheres e dos mais desfavorecidos.


Hoje Amália tem mais de 60 anos, mas transmitiu o seu espírito ativista à sua filha que aqui hoje conta a sua história.


A Democracia e a Liberdade não são garantidas, temos o dever cívico de lutar todos os dias pela igualdade de oportunidades e pela preservação do nosso planeta. Viva o 25 de Abril, viva a Liberdade!

9 comentários

Comentar post

Sobre

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub